quarta-feira, 28 de março de 2012

nação deprimida

É enervante ver a forma como o povo português está a ser levado como uma manada de bois e vacas a caminho do matadouro. Lentos, pesados, sem ânimo, lá vamos nós: a troika a puxar, os ministros a lamber as beiças e a polícia a garantir que nenhum dos bovinos se arma em herói.

Tenho pena de não ter estado na manifestação que decorreu no Chiado. Não sei como reagiria na altura, mas provavelmente com a mesma surpresa incapacitante com que reagiram os manifestantes. Já não estamos habituados a levar porrada, é o que é. Muito menos da polícia. Isso são histórias antigas, de antes do 25 de Abril. Hoje vivemos em Democracia, somos todos civilizados, essas coisas já não acontecem. Pensávamos nós.

Mas em vez de raiva, ódio, revolta contra o que nos está a acontecer, parece que o sentimento generalizado é de tristeza. Andamos resignados, como se não acreditássemos sequer que merecemos melhor. "Cada Povo tem o Governo que merece", dizem. Pelos vistos, anos a ouvir frases como esta convenceram-nos de que, de facto, merecemos este estado de coisas. 

A nação anda com a auto-estima em baixo: somos os piores em tudo ou quase tudo e os melhores em coisas que não interessam nada; há corrupção, há desemprego, há miséria, há desigualdades; o futuro dos nossos filhos é negro. A nação está deprimida e, como tal, sente-se sem forças, não lhe apetece fazer nada. 

Políticas de repressão e medo ajudam à depressão. Mas também podem acabar por ter o efeito contrário. Se eu tivesse estado na manifestação do Chiado, teria reagido com a mesma surpresa incapacitante com que reagiram os outros. Mas não estive. E agora o factor surpresa desapareceu. Em futuras manifestações, aqueles que lá estiverem (incluindo eu) sabem ao que vão. Sabem que pode haver porrada.
 
A polícia pode sentir-se à vontade e  até muito confiante ao controlar um rebanho. Agora... uma manada de touros em fúria, armados com o que estiver mais à mão (ou até, quem sabe, uma guerrilha mais organizada para garantir que, por cada velha pontapeada, um polícia pega fogo) será bem mais difícil de controlar e de direcionar para o matadouro... Digo eu.

3 comentários:

Anónimo disse...

Gostei das tuas metáforas.
E nem mais, somos verdadeiros cabrestos… Mas também somos levados à certa por pessoas sedentas de poleiro.
Sindicados e um determinado partido de esquerda (que me faz sentir vergonha de ter vermelho no coração) levam a manada direitinha para onde lhes favorece mais.
Para poderem continuar a incitar polémica e justificarem as suas posições…

Este tema é realmente muito controverso...
Ao mesmo tempo que acho que hoje em dia manifestações deste tipo só servem para alimentar os jornais e discursos, também sinto essa necessidade de manifestar o descontentamento com o rumo que leva o nosso país.
Não deveríamos procurar outra maneira de nos manifestarmos? Inovar aqui també?
Acho que os governos estão imunizados contra este tipo de manifestações e a controvérsia, como referi, serve apenas para continuar a vender jornais e telejornais, distrair as atenções para a atuação dos polícias (que condeno gravemente - não têm desculpa para terem usado a força daquele modo...) e a criar ódios, enquanto os políticos lá continuam na sua...

E outra coisa... não vejo é alguém dizer, vou criar uma empresa que vai dar emprego a X pessoas, ou vou produzir mais para que a minha empresa tenha mais lucro.
E digo que não vejo, porque provavelmente há muita gente a fazer isso, mas eu não vejo.

Quantas pessoas fizeram, mais uma vez, greve mas não se manifestaram, ou não foram para o trabalho sentar-se de braços cruzados com um cartaz a dizer que não trabalham por que não sentem que têm condições... pelo contrário, vi pessoas a tirarem a sexta-feira de férias para aproveitarem a greve...
Isto não consequente e descredibiliza totalmente uma greve.

Temos de pensar outra maneira que mudar o rumo que este país leva, e de acabar com as injustiças que se continuam a fazer, da forma errada como este país é governado por interesses de outros, mas, quanto a mim, as manifestações não são definitivamente um método eficiente nem eficaz de o fazer.

E há tanto para falar sobre isto...

N.N.

L.M. disse...

Que se foda a nação. Manadas? Porrada? Já está mais que na hora de ir à tromba aos "pastores"...

jotacmarques disse...

Muito bom,do melhor que tenho lido!