quinta-feira, 19 de abril de 2012

da fuk u talkin bout?!

O ministro das Finanças foi aos Estados Unidos falar com os senhores grandes e, entre as duas ou três coisas acertadas que possa ter dito, resolveu dar-lhes um conselho não solicitado e idiota: não façam como nós, Portugal (leia-se o Governo de Sócrates e as suas políticas "expansionistas") é  um exemplo daquilo que não se deve fazer.

O ministro esperava destacar-se, portanto, do péssimo trabalho do seu antecessor, dar uma de espertalhão vulgo armar-se em bom, numa esperança vã de provocar nos senhores grandes um sentimento de alívio ou até de admiração. Alívio e admiração por estarem na presença deste sr. ministro e não do anterior, alívio porque este é competentíssimo e compreende bem as funções para as quais foi eleito - servir o capital cof cof povo Português.

É o discurso de sempre, aquele que todos (antes de serem eleitos) dizem que não vão ter e ao qual (depois de serem eleitos) não conseguem fugir: a velha história da culpa. Ai.. a culpa... Porque foi o outro e o anterior e o antes desse e vocês nem fazem ideia de como "as coisas" estavam quando lhes pegámos. Porque nós somos super eficientes, eficazes, produtivos e inovadores, mas apesar da nossa competência extrema e inigualável, é impossível trabalhar, não há condições, porque os anteriores e os antes desses fizeram tudo mal, mas só os que não eram "dos nossos" claro.

Tenho pena que um dos senhores grandes não se tenha virado para o senhor ministro das Finanças e lhe tenha perguntado uma coisa simples: "So what?". Foi algo que me ensinaram a perguntar aos artigos que escrevia, quando escrevia, para saber se tinham relevância, e realmente a este senhor ministro fazia-lhe muita falta. Ah e tal o governo anterior era uma desgraça. So what? Ah mas eles fizeram coiso. Who cares? Ah mas a culpa é toda deles. Who gives a shit?!... Porque, sejamos realistas, who gives a shit?

Enquanto os senhores ministros não pararem (de vez!) com o jogo d'a culpa é do outro, não estão concentrados a 100% naquilo que tem de ser feito para mudar "as coisas". E se esperavam que "as coisas" já estivessem mudadas quando se candidataram, azar. Tivessem pensado duas vezes. 

Candidataram-se? Agora governem-se, como um dia acreditaram piamente ser capazes de fazer. And stop the whining!

4 comentários:

Anónimo disse...

Rigth!!!

talkin bout

Anónimo disse...

(aplauso)


N.N.

joana padrel disse...

Eles estão todos baralhadinhos, já não dizem coisa com coisa.

Quousque tandem Catilina , até quando Catilina aguentará a patientia nostra?

Esta era só pra mostrar que tb sei/ soube latim...:)

Duluoz disse...

bem... who the fuck cares! sim. candidataram-seagora aguentem-se à bronca. e, pelos vistos, nós - cordeirinhos mansos - estamos cá para os améns...