segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Vanity, definitely my favorite sin.


Venus with a Mirror, 1555
Titian
Italian, c. 1490 - 1576


Ontem tive a sensação de que estava prestes a ter uma overdose de imagem, se é que isso é possível. Foi o culminar de semanas de televisão, maquilhagem, blogs de moda, Kardashians, saídas à noite e seus preparativos, horóscopos, shiny happy people laughing, Facebook, sabrinas, tatuagens, bling, eu sei lá.

Onde andam as coisas realmente importantes? Ando andamos completamente desligada da realidade. Tenho de acordar.

5 comentários:

Anónimo disse...

Ticiano um dos meus pintores favoritos!Bem escolhido!

Que mal tem a vaidade,desde que estejamos acordados?

VAIDOSO IDEM

Anónimo disse...

São essas coisas que nos mantêm ocupados para não ver a tristeza de vida que levamos...

chinfrim disse...

Sim... embora eu não ache que leve uma vida triste :) Este post foi mais no sentido de me tornar (e incentivar outros a tornarem-se) mais activa no que diz respeito a coisas verdadeiramente importantes, ou seja, que saiam um bocadinho da esfera pessoal de cada um.

joana padrel disse...

Esperamos que saias da casca (esfera pessoal)!

Anónimo disse...

A Vida é a manifestação plena da alegria...mesmo com todas as dificuldades que possam surgir!
Para além Dela que mais existe?
Julgo que nada!
As expressões dessa alegria são infinitas,universais,completamente impróprias para a não partilha.
Partilhar é um imperativo da vida,é a sua afirmação,o contrário é a sua negação...é a inconsciência de se estar morto sem Morte!
Alegra-te,partilha...VIVE!
VIVIFICANDO